Alagoas, Bahia, Minas Gerais e Sergipe por Augusto Riedel (1836-?)

Alagoas, Bahia, Minas Gerais e Sergipe por Augusto Riedel (1836-?)

O alemão Augusto Riedel (1836-?) é considerado um dos mais talentosos fotógrafos de paisagens dos oitocentos. De sua produção, restaram 40 imagens do álbum Viagem de S.S.A.A. Reaes Duque de Saxe e seu Augusto Irmão D. Luis Philippe ao Interior do Brasil no Anno 1868 – que se tornou um dos trabalhos clássicos da documentação fotográfica do século XIX no Brasil. Diversas vistas de Riedel foram incluídas pelo Barão do Rio Branco (1845-1912) no Album de vues du Brésil, considerada a última peça para a promoção do Brasil imperial. Foi publicado em Paris durante a realização da Exposição Universal de 1889.

Alagoas, Bahia, Minas Gerais e Sergipe por Augusto Riedel (1836 -?)

O alemão Augusto Riedel (1836-?) é considerado um dos mais talentosos fotógrafos de paisagens dos oitocentos. De sua produção, restaram 40 imagens do álbum Viagem de S.S.A.A. Reaes Duque de Saxe e seu Augusto Irmão D. Luis Philippe ao Interior do Brasil no Anno 1868 – que se tornou um dos trabalhos clássicos da documentação fotográfica do século XIX no Brasil. Diversas vistas de Riedel foram incluídas pelo Barão do Rio Branco (1845-1912) no Album de vues du Brésil, considerada a última peça para a promoção do Brasil imperial. Foi publicado em Paris durante a realização da Exposição Universal de 1889.

Os Augustos, Stahl e Riedel, e a imagem da cachoeira de Paulo Afonso

Os Augustos, Stahl e Riedel, e a imagem da cachoeira de Paulo Afonso

A Brasiliana Fotográfica destaca uma curiosidade acerca de uma imagem envolvendo os fotógrafos Augusto Riedel (1836 – ?) e Augusto Stahl (1828 – 1877). Certamente Riedel conhecia o fotógrafo Stahl ou pelo menos o trabalho realizado por ele porque uma das mais famosas e importantes fotografias de Stahl, da cachoeira de Paulo Afonso, na Bahia, produzida em 1860 a pedido de dom Pedro II (1825 – 1891), que ficou entusiasmado com a monumentalidade da paisagem formada pelas quedas d´água que conheceu, em 1859, durante uma viagem que realizou às províncias do norte, acompanhado por uma comitiva e também pela imperatriz dona Teresa Cristina (1822 – 1889).

Os Augustos, Stahl e Riedel, e a imagem da cachoeira de Paulo Afonso

A Brasiliana Fotográfica destaca uma curiosidade acerca de uma imagem envolvendo os fotógrafos Augusto Riedel (1836 – ?) e Augusto Stahl (1828 – 1877). Muito provavelmente Riedel conhecia o fotógrafo Stahl ou pelo menos o trabalho realizado por ele porque uma das mais famosas e importantes fotografias de Stahl, da cachoeira de Paulo Afonso, na Bahia, produzida em 1860 a pedido de dom Pedro II (1825 – 1891), que ficou entusiasmado com a monumentalidade da paisagem formada pelas quedas d´água que conheceu, em 1859, durante uma viagem que realizou às províncias do norte, acompanhado por uma comitiva e também pela imperatriz dona Teresa Cristina (1822 – 1889).

Cronologia de Alfredo Ducasble (18? – 19?)

Cronologia de Alfredo Ducasble (18? – 19?)   1873 – J. A. Ducasble teria chegado em Pernambuco vindo da Europa no vapor Rio Grande (Diário de Pernambuco, 11 de março de 1873, terceira coluna). 1874 – No Recife, A. Ducasble, sua mulher e três filhos embarcaram rumo ao sul do país, no vapor inglês Illimani (A Província – Órgão do Partido […]

Cronologia de Marc Ferrez (1843 – 1923)

  Cronologia de Marc Ferrez (1843 – 1923)   1843 – O fotógrafo Marc Ferrez nasceu no Rio de Janeiro, em 7 de dezembro, sexto e último filho de Zépherin (Zeferino) Ferrez (31/07/1797 – 22/07/1851) e Alexandrine Caroline Chevalier (? – 1851), que se casaram em 16 de junho de 1821, na igreja do Santíssimo Sacramento e passaram a […]

Henrique Rosén (1840 – 1892), um fotógrafo sueco no interior de São Paulo

A Brasiliana Fotográfica destaca oito imagens produzidas pelo fotógrafo sueco Henrique Rosén (18? – 1892) para a divulgação publicitária da “Olaria, ferraria e oficina mecânica a vapor e água” de propriedade de Antônio Carlos Sampaio Peixoto, inaugurada em 2 de dezembro de 1867, em Campinas. As imagens pertencem à fundação Biblioteca Nacional, uma das fundadoras do portal. Entre 1860 e 1880, Rosén foi um dos mais importantes e também um dos pioneiros da fotografia no interior do São Paulo. No período em que viveu em Campinas, o francês Hercule Florence (1904 – 1879), inventor de um dos primeiros métodos de fotografia do mundo, também morava na cidade.

Série “Avenidas e ruas do Brasil” V – A rua Direita, a rua das Mercês e a rua Macau do Meio, em Diamantina, Minas Gerais

No quinto artigo da série “Avenidas e ruas do Brasil”, a Brasiliana Fotográfica destaca imagens de três ruas na cidade de Diamantina, em Minas Gerais: a rua Direita, a rua das Mercês e a rua Macau do Meio. O registro da rua Direita foi realizado, no século XIX, pelo fotógrafo alemão Augusto Riedel (1836 – ?) e os da rua das Mercês e Macau do Meio pelo mineiro Chichico Alkmim (1886 – 1978), já nas primeiras décadas do século XX. Em suas ruas de pedras, com várias subidas e descidas, onde se encontra um casario homogêneo e bem conservado, fazemos uma viagem no tempo…

Pixel sobre tela. Tecnologias da memória e preservação digital do patrimônio histórico e cultural

No artigo “Pixel sobre tela. Tecnologias da memória e preservação digital do patrimônio histórico e cultural”, a historiadora da arte Carolina Matos elogia iniciativas “como o Portal Brasiliana Fotográfica, que conecta acervos de fotografia analógica com o público através da Internet” e faz uma análise sobre a coleção e a conservação do patrimônio histórico e cultural, destacando que “a comunicação do passado através de sua exposição é, sem dúvida, o maior legado que podemos deixar para as gerações futuras”.

Os cinco anos da Brasiliana Fotográfica

A Brasiliana Fotográfica completa cinco anos de existência com 38.437.165 acessos! O portal promove nesse contexto atual da pandemia do coronavírus um debate relacionando urbanismo, saúde pública e a história da cidade do Rio de Janeiro e das grandes metrópoles brasileiras, temas frequentes de nossas publicações. Com a participação do historiador Jaime Benchimol, da pneumologista Margareth Dalcolmo e do arquiteto e urbanista Guilherme Wisnik será realizado no dia 17 de abril de 2020, às 17h30m, um encontro virtual que será disponibilizado on-line ao vivo para o público, gratuitamente, no canal de facebook do Instituto Moreira Salles. A mediação será feita por Sérgio Burgi (IMS) e Joaquim Marçal (BN), curadores do portal, e pela historiadora Aline Lopes de Lacerda, da Fiocruz.